Para qualquer produto que for usar em seu rosto, você só precisa seguir uma regra: respeitar o seu tipo de pele. Isso porque o skincare só vai ter bons resultados se planejarmos uma rotina que seja compatível com nossas necessidades.

Logo de cara já temos um pequeno desafio. Pois se você não souber qual o seu tipo de pele, as chances de errar a mão são grandes! Então confira algumas dicas de como pode descobrir essa informação e o que isso significa se tratando de skincare.

Skincare se planeja pele a pele

Sempre que se fala em cuidado, é preciso pensar nas necessidades. E bem sabemos que a individualidade é quem manda aqui, então não dá para seguir os mesmos hábitos daquela amiga que tem a pele super diferente da sua.

Podemos até fazer uma comparação de ditados populares para você entender melhor. Já ouviu dizer que “cada cabeça, uma sentença”? Pois bem! Cada tipo de pele, um tipo de skincare. Então nada de comprar produtinhos “milagrosos” por aí, pode ser que eles não sejam tão milagrosos para a sua pele.

Os produtos para skincare precisam ser comprados de acordo com o tipo de pele. Só assim vamos evitar manchas, vermelhidão, excesso de oleosidade e até mesmo aquele aspecto de secura. Para te ajudar a tirar possíveis dúvidas, vamos falar sobre os tipos de pele, suas características e como fazer um teste caseiro para tentar descobrir qual é o seu tipo.

Depois de terminar a leitura desse resumo explicadinho sobre a relação entre skincare e o tipo de pele, não vai ter mais desculpas, viu!? Acompanhe com a gente o raciocínio!

Tipos de pele

Quando se fala em tipos de pele, algumas coisas precisam ser levadas em conta, já que além dos traços genéticos, o dia a dia pode influenciar no aspecto da nossa pele, principalmente a do rosto.

O melhor a se fazer é conhecer mais sobre a sua pele: características, especificidades e tudo que puder ajudar a definir o tipo e as necessidades diárias. Assim o seu skincare pode mais facilmente ser planejado.

São basicamente 5 tipos de pele: normais, oleosas, mistas, sensíveis e secas. Observe algumas características pontuais sobre cada uma delas!

Os 5 tipos: entendendo as diferenças

  1. Pele normal: bom equilíbrio entre água e óleo nos níveis cutâneos. Ou seja, essa pele não é muito seca mas também não “brilha”. Aqui geralmente temos poros mais finos e pele mais suave. A região mais “crítica” é a zona T (testa, queixo e nariz), que volta e meia pode estar mais oleosa.
  2. Pele Oleosa: a proporção de água e óleo é bem grande. A tendência é que o dia todo e todos os dias essa pele esteja “brilhando”. Já em relação ao aspecto geral, temos poros mais dilatados e o aparecimento de cravos e espinhas é mais comum nesse caso.
  3. Pele seca: baixa oleosidade e pouca retenção de água nos poros, o que dá a esse tipo um aspecto mais rígido e “sem brilho”. Elas costumam ser mais sensíveis e precisam de atenção.
  4. Pele mista: uma mescla imperfeita entre os dois tipos anteriores, quem tem pele mista sofre com oleosidade e secura de uma vez. Isso porque algumas regiões sobram óleo e água e outras faltam.
  5. Pele sensível: aqui água e óleo não são o problema, mas sim a reação da pele aos fatores externos. Esse tipo tende a sofrer mais com irritações, estando constantemente vermelha ou irritada com qualquer coisa.

Cada característica, uma necessidade diferente! Então continue se lembrando de que o skincare precisa ser particular e estar de acordo com a sua pele. “Mas e se eu ainda não souber o meu tipo, o que fazer?” Um pequeno teste caseiro: simples, rápido e válido!

Teste rápido: qual o meu tipo de pele?

Existem diversas maneiras de definir o nosso tipo de pele, desde testes visuais até aqueles mais práticos. Porém, os únicos que podem “bater o martelo” são os dermatologistas, que são especialistas no assunto. Mas se a consulta com o dermatologista está marcada para só daqui umas semanas, o que você pode fazer é entender mais sobre o assunto e fazer um pequeno teste caseiro.

Vamos passar uma dica prática, baseada na oleosidade e aspecto da pele pós teste. Para isso você vai precisar de um lenço de papel limpo. O segredo está em passar o lenço no rosto assim que você acordar e observar sob a luz o que fica no papel e como a sua pele reage. Observe!

E aí, qual o resultado do seu teste?

Ainda que tenha já uma bela visão do que o aguarda nos cuidados, o skincare deve sempre ser acompanhado pelo dermatologista. Já que os efeitos podem sair do controle, mesmo que o seu tipo de pele já tenha sido definido.

Valorize a sua pele através do cuidado: faça skincare!

Independente do tipo de pele que você tem, o cuidado é sempre necessário! Não caia naquelas falsas histórias de que pele tal ou qual não precisa de hidratação ou não precisa de um bom sabonete de limpeza. Toda pele merece e precisa do skincare. E não dá para ser com qualquer produto!

Se você já conhece o seu tipo de pele ou conseguiu fazer o teste caseiro do lenço, é hora de se equipar com cosméticos adequados. Clique aqui para conhecer linhas de skincare perfeitas para o seu tipo de pele.

Dúvidas? Procure um profissional

Vai começar uma rotina skincare do zero? Procure um dermatologista! Somente um profissional pode avaliar com mais assertividade os resultados do seu cuidado e como otimizar a sua rotina. Então mesmo que já esteja com a pele bonita e sem efeitos indesejados, faça um acompanhamento com o médico, só para garantir mesmo!

Agora se a sua dúvida é sobre dermocosméticos, o melhor é procurar pelo especialista da marca. Assim você conhece mais sobre o universo de produção e como os testes são feitos. Porque o skincare é importante demais para ficar à mercê da sorte, não é mesmo? Fale conosco.

Para mais dicas sobre pele, maquiagem, tendências e muito mais do universo do skincare, acesse nosso blog ou nossas redes sociais. Tudo para você se cuidar e estar sempre Bella!

4 respostas

  1. O ácido gama-aminobutírico (GABA) é um aminoácido não proteogênico e é o principal neurotransmissor inibitório no cérebro dos mamíferos. Os efeitos redutores de estresse e de aumento do sono do GABA foram estabelecidos. Entretanto, embora vários ensaios clínicos em humanos tenham sido realizados, os resultados relativos ao papel da ingestão de GABA natural e/ou biossintético oral sobre o estresse e o sono são mistos. Realizamos uma revisão sistemática para examinar se a ingestão de GABA oral natural e/ou biossintético tem um efeito sobre o estresse e o sono. Procuramos sistematicamente no banco de dados PubMed por estudos publicados até fevereiro de 2020, seguindo as diretrizes do PRISMA. Foram incluídos apenas ensaios em humanos controlados por placebo que avaliaram o estresse, o sono e os resultados psicofisiológicos relacionados como resposta ao consumo natural de GABA (ou seja, GABA que está presente naturalmente nos alimentos) ou GABA biossintético (ou seja, GABA que é produzido por fermentação). Catorze estudos preencheram os critérios e foram incluídos na revisão sistemática. Embora sejam necessários mais estudos antes que possam ser feitas quaisquer inferências sobre a eficácia do consumo de GABA oral no estresse e no sono, os resultados mostram que há poucas evidências de estresse e muito poucas evidências dos benefícios do consumo de GABA oral para o sono. https://ptmedbook.com/a-l-teanina-e-boa-para-a-ansiedade-revisao-de-drogas/ O sistema nervoso entérico (ENS) é a rede de neurônios que controlam seu sistema gastrointestinal. O ENS contém muitos receptores GABA, e o próprio GABA, e está conectado ao cérebro através do nervo vagal. Foi proposto que o GABA ingerido é capaz de afetar o corpo mesmo sem cruzar o BBB através de suas interações com o ENS. quem gaba o toco ea coruja significado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.